Equoterapia

Esse trabalho é muito mais do que montar um cavalo e simplesmente cavalgar. O cavalo por si só, é uma presença viva, afetiva e concreta, que evoca sentimentos e emoções. É utilizado com fins terapêuticos em razão da sua força, porte e docilidade por se deixar montar.

A equoterapia é voltada para crianças/adultos com necessidades especiais, ou alguma limitação física, psicológica ou comportamental.

Seu movimento rítmico, que imita a cadência do andar humano, ou o convívio e manuseio do animal, faz com que nosso praticante, usufrua de uma melhor qualidade de vida, promovendo ganhos físicos como coordenação motora, tônus muscular, força e psicológicos como auto-estima, coragem, disciplina, tolerância, etc...

É mais um recurso para saúde e bem estar do ser humano.

Tanto na equoterapia quanto na equitação lúdica respeita-se a individualidade de cada praticante buscando estimular suas potencialidades e diminuir as barreiras existentes.

Método Terapêutico Aprovado:

  • Conselho Federal de Medicina (1997)
  • Conselho de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (2008)
  • Conselho de Fonoaudiologia (2008)
  • MEC (2010)
  • Ministério da Agricultura (2011)
  • Conselho de Psicologia (em trâmite)

 

O primeiro contato com o cavalo, conhecer o animal, suas limitações, seu modo de ser, seu ambiente, aprender a lidar com ele e consigo para montá-lo e se relacionar com ele. As aulas acontecem ao ar livre, em íntimo contato com a natureza.

O princípio é desvendar, conhecer o cavalo, tornar leve e agradável esse momento, essa parceria. Aprender dele e com ele, aprender de si, das suas atitudes, pra que esse relacionamento se torne muito mais do que um simples passeio ou apenas uma atividade, mas se torne um momento e cumplicidade, troca e aprendizado para a vida.

Inúmeros estímulos são enviados ao corpo e ao cérebro durante as aulas, o objetivo é estimular o desenvolvimento das crianças utilizando atividades lúdicas e educacionais, possibilitando melhorias físicas, psicológicas e comportamentais. Tais como coordenação motora, tônus, equilíbrio, auto confiança, coragem, segurança, auto estima, liderança, disciplina, responsabilidade, respeito; buscando as potencialidades e as singularidades de cada um, além de iniciar a introdução dos praticantes as práticas equestres.


Benefícios

 Neuromotores:

  • Melhora da força muscular e regularização do tônus;
  • Relaxamento, equilíbrio e flexibilidade;
  • Conscientização do próprio corpo, aperfeiçoamento da coordenação motora
  • Melhora dos distúrbios da fala e da comunicação;


Psicossociais:

  • Reintegração com a sociedade – inclusão e socialização
  • Melhora concentração, equilibrio mental (paciência, calma, perseverança)
  • Iniciativa, auto estima, afetividade, auto confiança, coragem e auto controle
  • Liberdade, autonomia, liderança (olhar cima para baixo)
  • Evita hiperatividade, insônia, ansiedade, stress, diminui agressividade
  • Contribui para o desenvolvimento físico, psicológico, comportamental, educacional e social.

 

IMG_0915.jpg

Manuseio

Manuseio: alimentação, escovação, banho, condução, limpeza, manejo, contato, observação.

Um relacionamento de cumplicidade sem censura.
Proporciona sentimentos de responsabilidade, humildade, tolerância, interação, dominação, auto confiança, auto estima, disciplina e principalmente, o ato de cuidar. Desafios sobre autoconhecimento emocional, social e de qualidade de vida.

Oportunidade de manter um relacionamento com a realidade de forma lógica e feliz – o lidar com o cavalo obriga o praticante a se comunicar com o outro para poder trabalhar com ele.


Montaria

Movimento Tridimensional (ritmado, repetitivo e simétrico)

Cavalo ao passo/minuto:

  • 82 passos
  • 246 ondulações tridimensionais
  •  738 correções posturais
  • 1476 grupos musculares ativo


Em meia hora de exercícios, são executados em média 2.000 deslocamentos, que atuam diretamente no sistema nervoso profundo, responsável pelas noções de equilíbrio, distância e lateralidade. A cada passo completo do cavalo, que apresenta padrões semelhantes ao do caminhar humano.

É por causa dessa similaridade e dos estímulos enviados ao cérebro que o praticante melhora a postura, a coordenação, a musculatura, a respiração correta e a linguagem.
O Passo é a andadura mais favorável ao estabelecimento da linguagem entre cavalo e cavaleiro, em virtude das fracas reações que ela produz no assento do cavaleiro, permitindo a esse permanecer em íntima ligação com sua montada.

 


Nosso Amigo Cavalo

Dentro da fantasia, o cavalo ajuda a criar limites da realidade. Como um animal honesto, sem disfarces, movimenta-se dentro do nosso imaginário. E a convivência é capaz de ajudar a superar problemas, os resultados logo aparecem: responsabilidade, humildade, atenção, afeto, melhora da auto confiança, auto estima e auto-imagem, controle emocional, disciplina...

Na prática sobre e com o cavalo, o praticante recebe inúmeros estímulos, que chegam ao Sistema Nervoso Central, que, por sua vez, voltam ao corpo mediante informações enviadas pelo cérebro.

Dessa forma, proporcionam-se ganhos como coordenação motora, equilíbrio, ajustes posturais, modulação tônus, conscientização corporal, flexibilidade muscular, respiração, comunicação, atenção, concentração, integração sensorial (sensibilidade tátil, visual, auditiva e olfativa).

Quando se esta montado em um cavalo o corpo é permanentemente solicitado a fazer ajustes posturais para se adaptar a esses desequilíbrios provocados pelo movimento do cavalo – o ajuste tônico, movimento de adaptação, acaba se tornando rítmico, fazendo com que o cavalo e a criança se tornem um único corpo.

          Tudo o que não trabalho pode atrofiar, tudo o que não uso, passo a não saber usar:  músculo, raciocínio, sentimento.

O Cavalo sempre exerceu um fascínio sobre o ser humano, é um misto de temor e atração.

Ele traz a nossa realidade a experiência gostosa de sonhar. Por alguns momentos é possível se achar grande, forte, sem problemas, preconceitos e ao mesmo tempo, o relaxamento que advém disto torna o cérebro mais apto ao aprendizado.

O cavalo requer, de quem se aproxima dele, sensibilidade e respeito a suas características peculiares, pois se trata de um animal que precisa ser cativado para se tornar companheiro. Para estabelecer contato e vínculo faz-se necessária uma atitude de cumplicidade, não de autoridade.

O Cavalo desperta a potencialidade da pessoa que lida com ele.


Conheça um pouco mais...